Informações Gerais sobre o Marrocos

O Marrocos tem sido influenciado por várias civilizações desde a antiguidade. Cada uma delas deixou seu legado. Isso produziu uma herança histórica incomparável. A variedade de paisagens marroquinas é incrível. Você se move de cimeiras para planícies, da vegetação mais verde para a aridez mais completa. Conheça mais Informações sobre o Marrocos no nosso guia de viagem!

Informações Gerais
Um país do norte de África, limitado a norte pelo Estreito de Gibraltar (por onde faz fronteira com a Espanha), por Ceuta, pelo Mar Mediterrâneo, a leste e a sul pela Argélia, a sul pelo Saara Ocidental e a oeste pelo Oceano Atlântico e à noroeste tem como vizinho próximo Portugal. 

 

População
Os primeiros habitantes do Marrocos foram os berberes - um dos pilares do país que estão contribuindo com uma nova força para o Marrocos moderno. O Instituto Real da Cultura Amazigh foi criado em 17 de outubro de 2001. Desde esse tempo o Berber tornou-se reconhecida como língua oficial. Ele agora está incluído nos programas escolares e em estações de rádio e televisões nacionais. A riqueza da tradição Amazigh é expressa mais claramente durante o festival Timitar em Agadir.

 

Qual o idioma do país?
No Marrocos o primeiro idioma é o árabe, a segunda língua é o francês. O berber também é considerada língua oficial. No norte do país é comum a difusão do espanhol.

 

Qual a religião do Marrocos?
As numerosas migrações que Marrocos tem experimentado criaram um espírito de tolerância e abertura. Hoje o Islã, o Cristianismo e o Judaísmo enriquecem um ao outro espiritualmente e intelectualmente através da partilha e transmissão de sua cultura. 

 

Câmbio
A moeda local é a dirham marroquino, mas as zonas turísticas aceitam bem o dólar e euro. Há diversas casas de câmbio pelo país onde é possível converter moeda estrangeira pela moeda local. Recomenda-se aos viajantes brasileiros que convertam o real em dólar ou euro ainda no Brasil, pois no Marrocos não há como trocar o real.

 

Clima
O clima do Marrocos varia muito de acordo com a região, no norte tem um clima mais mediterrâneo, verão quente e úmido e o inverno com precipitações de chuva, já na costa oeste que é banhada pelo atlântico, o inverno é mais húmido e o verão com clima temperado e ao sul o clima é predominantemente seco.

 

Gastronomia
Diversidade, cor e sabor - são três características da culinária marroquina. Os principais pratos são o cuscuz e o tajine. Destacam-se também o famoso chá de menta (popularmente conhecido como whisky berbere), o amlou (pasta de amêndoas, mel e argan), omelete maticha (omelete com alguns legumes) e harira (sopa marroquina). Na gastronomia do Marrocos utiliza-se muito de açafrão e argan.

 

Política
A nação marroquina assenta em três princípios fundamentais que se reflectem no lema: "Deus, Pátria, Rei". O que distingue Marrocos de todos os outros países muçulmanos é a presença do Chefe de Estado como Comandante dos Fiéis, o rei Mohammed VI, cuja família governa o país desde 1640, descendente direto do Profeta Mohamed. Marrocos é uma monarquia constitucional, com um parlamento eleito democraticamente, mas em que o rei é igualmente o chefe do governo. A economia deste país baseia-se na agricultura, turismo e na indústria transformadora e na exploração mineira.

 

Paisagem e geografia
Marrocos oferece diversidade geográfica muito especial desde às montanhas até o mar, presenteando a todos que ali passam com belíssimas paisagens. Visto a partir do céu, Marrocos está inserido entre o Mediterrâneo e o Atlântico, e possui uma longa faixa de montanhas que se estendem de leste a oeste antes de incorporar-se nas areia de Mauritânia. As paisagens são variadas e surpreendentes, os picos vertiginosas nevados dos montanhas do Atlas, os penhascos e ravinas dos maciços de Rif, as densas florestas de carvalhos e do planalto central, as planícies férteis da Meseta, a terras áridas dos planaltos elevados, a deserta estepes, o oásis de luxo da bacia do Souss e as dunas de areia sarianas. É simplesmente mágico!

 

Cinema e Teatro
Marrocos tem um grande legado na produção artística, produzindo diversos trabalhos no teatro e cinema. O país também serviu de cenários para vários filmes e produções televisivas estrangeiras.

 

Artesanato
A arte marroquina pode ser classificada em duas grandes categorias: ambientes urbanos e rurais. A cidade é rica em tradições de arte importada do Oriente e/ou da Peninsula Ibérica muçulmana. A influência oriental pode ser observada principalmente em tapetes, tecidos, bordados, cerâmica, metal, madeira e couro. As artes berberes e rurais têm uma forma mais "primitiva ", os objetos muitas vezes tem uma função utilitária: móveis, ferramentas, utensílios indispensáveis à vida diária e alguns ornamentos festivos para a comunidade.

 

Música
Devido à sua posição geográfica, Marrocos é uma espécie de encruzilhada entre o Ocidente, Oriente e a África Subsaariana. O país aproveitou essa vantagem, enriquecendo-se com todas as diferentes culturas, desenvolvendo assim a sua própria identidade: com a música árabe-andaluz, a música Berbere, a música africana e a música religiosa de origem islâmica.

Terra de todos os sons e cheiros, o Marrocos é uma experiência verdadeiramente sensorial. Além da conhecida Casablanca, o país é repleto de outras lindas cidades, como a cidade azul de Chefchaouen e lugares interessantíssimos. Reserve um tempo para saber mais sobre, faça as malas, embarque para o Marrocos e surpreenda-se com tudo o que esse lindo e exótico país tem a oferecer.
 
Fez - É uma das quatro cidades imperiais do Marrocos e é considerada o centro religioso e cultural do país. A sua universidade, famosa para o estudo do árabe e do Islã, é local de encontro de um grande número de estudantes marroquinos.
 
Meknés - Também uma das cidades imperiais, Meknés é um importante centro agrícola, produzindo, especialmente, azeite e frutas. Fica ao norte do Marrocos, no meio de um vale verde aos pés das montanhas do Atlas Médio.
 
Marrakech - É mais do que apenas mais uma das cidades imperiais do Marrocos, é uma pérola polida pela história. Sua tradição de hospitalidade tem, durante séculos, sabido receber os visitantes de forma agradável e única. Os Jardins Majorelle abrigam uma coleção de plantas dos quatro cantos da terra e florescem entre elegantes lagos ornamentais e uma villa Art Deco. 
 
Rabat - Jardins, grandes avenidas e uma ampla gama de festivais, assim é Rabat, outra cidade imperial, sóbria e elegante estendendo-se serenamente ao longo do oceano. A Torre Hassan, em toda a sua força, é delineada apontando para o céu, dominando uma esplanada de pilares de mármore e os restos de uma mesquita concebida no século 12. 

 

Arte, cultura e história se misturam e transbordam em todos os lugares do Marrocos, desde os pequenos vilarejos até à imensidão do deserto. Podem existir milhares de razões para conhecer Marrocos, mas nenhuma palavra poderá descrever o encanto desta terra. As paisagens são incrivelmente fantásticas e apaixonantes, se você quer experienciar uma viagem indubitavelmente inesquecível, Marrocos é o destino certo!

Um livro de histórias 
O país é uma antiga nação carregada de uma rica história - berberes, cartagineses, fenícios, romanos, vândalos e bizantinos precederam os árabes, fazendo de Marrocos uma encruzilhada geográfica, histórica e cultural.


A terra dos sonhos 
O Marrocos é um país de sonhos; é um mundo de fábulas, de histórias dos reinados das mil e uma noites com suas danças e comidas exóticas. É uma terra rica em cultura, arte, tradição, artesanato, beleza cênica e lendas. Marrocos nos encanta, ainda, por sua história, seus costumes e sua gente.

 

A lenda de Hércules
Os Gregos denominavam o estreito de Gilbratar por estreito de Hércules pois, segundo a lenda grega foi criado por um golpe de espada do herói grego Hércules, na luta contra o gigante Anteo, que dominava a região de Tanger. Desta forma Hércules separou a Europa da África. A lenda também atribui a Hércules a criação das famosas grutas de Hércules, na costa do Atlântico (onde hoje fica a cidade de Tânger), local no qual o herói descansou após realizar seus doze trabalhos.


Paisagens encantadoras
Nas paisagens belíssimas a montanha se mescla com o mar e nos encantam com uma beleza natural esplêndida. Rios, oásis, bosques e  deserto são de uma beleza indescritível, e seriam o bastante para encantar qualquer visitante.

 

As bênçãos do Deserto
Conta uma lenda que Deus doou ao Arcanjo Miguel um saco de areia para distribuir pelo mundo, para que ele criasse as praias, as dunas e os desertos. Miguel  começou a construir as praias e o mundo estava cada vez mais lindo. Porém, quando o diabo viu as belezas que Miguel estava criando furou o saco e toda areia caiu onde vivem hoje os árabes. Deus para recompensar o povo árabe por viver em terras que se tornam não cultiváveis devido ao vento, deu ao árabe o turbante, que vale mais que a coroa de um rei, pois serve para proteger a cabeça do sol. E deu a tenda ao nômade, o que vale mais que um palácio, pois pode ser transferida de um local para o outro, de acordo com o tempo, o que garantiu a sobrevivência do povo.
O deserto é um lugar mágico. Segundo a tradição todo homem deveria ir ao deserto para encontrar sua alma, a sua verdade individual, pois ele simboliza, também, o vazio. No deserto Moisés recebeu os dez mandamentos e Jesus venceu os demônios internos. No deserto pode-se aprender a arte de descansar e de descobrir nossas riquezas interiores. A caminhada sobre a areia macia é prazerosa e sempre nos dá a ilusão de poder atingir um horizonte, pois o deserto, ao contrário da existência, possui um horizonte onde o sol nasce e um horizonte onde o sol se põe.  Sente-se no topo das dunas para apreciar o pôr do sol e em seguida deleite-se com o céu que fica completamente iluminado pela luz das estrelas. Assim é Marrocos, um país de fantasia.

Passaporte
Para a viagem é obrigatório ter um passaporte válido, recomenda-se que o passaporte tenha no mínimo 6 meses de validade a contar da data de retorno.
 
Visto
Cidadãos dos seguintes países não precisam de visto: Argentina - Austrália - Austri - Bélgica - Brasil - Bulgária - Canadá - Chile - Chipre - República Checa - Dinamarca - Estónia - Finlândia - França - Alemanha - Grã-Bretanha - Grécia - Hong Kong - Hungria - Islândia - Indonésia - Irlanda - Itália - Japão - México - Holanda - Nova Zelândia - Noruega - Portugal - Roménia - Rússia - Singapura (Singapura nacionais podem ficar até um mês sem visto) - Coreia do Sul - Espanha - Suécia - Suíça - Turquia - Estados Unidos da América - Venezuela.

 

Validade
O prazo máximo de uma visita turística é de 90 dias. 
 
Embaixada
Ao se preparar para sua partida, observe os detalhes de contato da sua embaixada e os consulados regionais. Você poderá renovar seus papéis  em caso de perda e obter todos os tipos de conselhos (saúde, segurança, etc). Em geral, todos os serviços diplomáticos têm um número de emergência a ser chamado . Na maioria das vezes um departamento administrativo será capaz de ajudá-lo, mesmo em caso de uma emergência. Confira o site da Embaixada do Brasil no Marrocos para maiores informações:  http://www.marrocos.com/legalidades/embaixada-brasil-marrocos/

Terra de todos os sons e cheiros, Marrocos e uma experiência verdadeiramente sensorial. A medina de Fez, a cidade imperial de Meknés, as Souks (feiras) de Marrakech, a cidade azul de Chefchaouen, nas montanhas do Rif, o Alto Atlas, a garganta de Todra e o vale de Dra, a pitoresca cidade costeira de Asilah, Essaouira, as ruínas romanas de Volubilis, Merzouga e as dunas de Erg Chebbi, ou o Ksar de Ait Bnhaddou – motivos de sobra para que você vivencie Marrocos.

 

Marrocos é uma nação rica em história. Antes dos berberes, cartagineses, romanos, vândalos, bizantinos, o país foi habitado por homens que deixaram as suas marcas pintadas nas paredes das rochas do Atlas. 

 

Origem do Nome
O próprio nome "Marrocos" surge, presumivelmente, durante a dinastia que governou o país entre 1554-1659. Este nome é o resultado da contracção do nome da cidade de Marraquexe, a principal das suas capitais.

 

A chegada dos Árabes
Os árabes chegaram a Marrocos em três vagas: os conquistadores dos séculos VII-VIII, os do século XII, da etnia Beni Hilal com origem na Arábia e finalmente os grupos dos séculos XII-XIV, liderados pela etnia Beni Maqil. Estes três grandes grupos dividiram-se naturalmente em muitas tribos.

 

História do Marrocos
O verdadeiro início da história de Marrocos regista-se com o Islamismo que, além de permitir a criação de um Estado, introduziu a língua árabe, a língua da religião e, automaticamente, o instrumento de comunicação e cultura. O Marrocos foi rapidamente convertido ao islamismo, no entanto, muito mais tarde foi arabizado.

 

O fundador da nação marroquina, Idriss I, conseguiu formar um estado independente dos dois pólos mais importantes do mundo muçulmano da altura, Bagdad e Córdoba. A unidade nacional entre os dois componentes humanos de Marrocos foi simbolicamente selada quando Idriss casou com Kenza, a filha do chefe berbere, que vivia na região Oualili (Volubilis).

 

Em 809, o seu filho Idriss II criou a primeira capital de Marrocos em Fez, onde foi construída a universidade mais antiga do mundo islâmico, a Qaraouyine.

 

No passado, as fronteiras de Marrocos ultrapassavam largamente as atuais, tanto a Leste como a Sul. Desfalcada das suas províncias Subsaarianas durante a partilha colonial, Marrocos recuperou a independência em 1956, tomando posse do Sahara, reafirmando assim a sua unidade nacional.

 

País de identidade plural, Marrocos prepara-se agora para caminhar rumo à modernidade, sem perder a sua alma: árabe, berbere, saraui, africana e ocidental.

 

Para se ter uma idéia o Marrocos tem suas origens em civilizações pré-históricas começando com o período Paleolitico Inferior (Acheulense) cuja civilização em Marrocos é conhecida pelo menos há mais de um milhão de anos. As grandes descobertas que foram feitas deste período situam-se na região de Casablanca Carrière Thomas, Oulad Hamida, Sidi Abderrahman . As ferramentas característica deste período são compostas por seixos, bifaces, cutelos e núcleos.

 

O Paleolítico Médio

O Paleolítico Médio é conhecido em Marrocos, em diversas regiões cuja ocupação se situa entre os 200 mil anos e 30.000 anos antes da era cristã. As ferramentas características deste período são os: raspadores e as setas moustierenses.

 

O Paleolítico Superior

Cerca de 21 mil anos antes da era cristã, desenvolveu-se na região que hoje é Marrocos, a cultura Iberomaurusiana, que é caracterizada principalmente por ferramentas em forma de lâminas e pás geométricas e diversificadas bem como muita indústria óssea. As práticas funerárias desta civilização são bastante avançadas e são na sua maior parte marcadas pela extracção de dentes e pelo uso de corantes nos enterramentos. Entre os locais importantes, que produziram evidências físicas dessa cultura, podemos citar a gruta deTaforalt, na região de Oujda.

 

O Neolítico

O Neolítico é conhecido em Marrocos por volta de 6000 a.C. Esta civilização é caracterizada pelo surgimento da agricultura, do sedentarismo, da domesticação, do fabrico de cerâmica e ainda pela utilização de machados de pedra. Vários sítios mostraram níveis pertencentes a esta cultura, tais como: Kaf Taht el Ghar, Ghar Kahal, Boussaria, as grutas de El Khill e a necrópole de Rouazi Skhirat.

 

A idade dos Metais

Este período é conhecido por volta de 3000 a.C. As características destas civilizações, que se iniciam com o Calcolítico, são principalmente as taças e a cerâmica da Idade do Bronze, incluindo um nível de cerâmica negra documentado em algumas grutas no norte de Marrocos bem como na camada mais baixa de alguns outros sítios arqueológicos.

 

Antigas Civilizações

Os fenícios

A tradição literária dos relatos de Plínio, o Velho, marca o início da presença fenícia na costa marroquina no final do século XII aC, sendo, Lixusa primeira fundação no Ocidente desta civilização. No entanto, os vestígios arqueológicos da ocupação fenícia não ultrapassam o primeiro terço do século oitavo. Além de Lixus, Mogador, é tida como a ocupação mais ocidental deste período fenício.

 

Recentes pesquisas enriqueceram o mapa de Marrocos nesta época pela descoberta de novos sítios, particularmente na costa do Mediterrâneo.

 

Período Púnico

No século V aC. o explorador cartaginês Hannon empreendeu uma viagem ao longo da costa de Marrocos, durante a qual fundou várias colónias. A influência cartaginesa é sentida através dos ritos funerários e pela difusão da língua púnica. A partir do século III aC, a cidade de Volubilis é governada por um conselho de sufetas (magistrados) a exemplo do que acontecia em Cartago.

 

Período Mauritaniano

A primeira menção de um rei mouro remonta à Segunda Guerra Púnica, em 206 aC. quando o rei Baga garantiu ao rei Massinissa uma escolta de 4000 cavaleiros. A história deste reino começa a desenvolver-se no final do segundo século aC com o avanço dos interesses de Roma nesta parte de África. Em 25 aC, Roma colocou o príncipe Juba II como chefe do reino. Após o assassinato do rei Ptolomeu, pelo imperador Calígula em 40 dC, o reino da Mauritânia foi anexado ao Império Romano.


 
A época romana

Após a criação da província da Mauritânia Tingitane, Roma empreendeu um amplo programa de desenvolvimento urbano (Tamuda, Tânger, Zilil, Banasa, Thamusida, Volubilis, Sala...) criando também inúmeros novos centros com presença militar. Naquela época, Marrocos registrou uma significativa abertura económica nas suas rotas comerciais com o Mediterrâneo. Em 285, a administração romana retirou-se da parte sul da província (Loukkos) mantendo apenas dois núcleos: Salé e Mogador. A partir do século V, a província inteira foi evacuada.

 

As dinastias Islâmicas

Os Idríssidas
Ao contrário das províncias e distritos do leste, a islamização de Marrocos não foi fácil e demorou quase meio século (de 647 a 710). Após a conversão da população local, nasceu um sentimento social que defendia, a separação política da tutela dos califas do Oriente. Estas tentativas traduziram-se em 788, no aparecimento da primeira dinastia islâmica de Marrocos, os Idríssidas. O homem que esteve por de trás desta conquista política foi o sherif Idris ibn Abdallah, um descendente do profeta. Escapou do massacre realizado pelos Abássidas após a batalha de Fakh, perto de Meca (786), e estabeleceu-se em Walili (Volubilis). Apoiado pelos Awraba, aos quais se juntaram outras tribos Amazigh, Abdallah começou a criar um verdadeiro reino. Aos poucos conquistou Tamesna (região de Salé) Fazaz (região de Azrou-Aïn Leuh), e Telemcen. O imam Idriss morreu em 791 assassinado por um emissário do califa abássida. O seu filho, Idriss II, nascido dois meses depois, foi formalmente reconhecido com a idade de 12 anos. Muito cedo mostrou afinidades políticas. Fundou a cidade de Fez  e estendeu o seu poder sobre todo o território. Pela primeira vez as tribos Amazigh (berberes) foram unidas sob uma única autoridade muçulmana.

 

Os Almorávidas
O reinado dos Idríssidas não durará muito tempo após a morte do seu fundador. O imponente mas frágil reino será dividido entre o seu filho e os seus sucessores. A dinastia enfraquecida abre uma oportunidade para que as potências regionais da época, os Fatímidas de Ifriqiya e os Omíadas da Andaluzia exerçam a sua autoridade sobre o país. No século XI aparecem em cena os Sanhaja berberes nómadas do distante sul. Ricos e organizados, começaram uma série de expedições em nome da fé, e, chegam mesmo a estabelecer um Estado, cuja capital foi Marraquexe, em 1069. Após a luta entre os governantes muçulmanos das províncias da Andaluzia e da ameaça representada pelos reis cristãos, os Almorávidas, liderados por Yusuf ibn Tachafine, intervieram na Península Ibérica em 1086. Desta forma, uma nova era de relações estreitas entre a Peninsula Ibérica muçulmana abre-se no Magrebe.

 

Os Almóadas
A dinastia almóada teve a sua célula originária na aldeia de Tinmel na parte ocidental do Alto Atlas. É o reformador espiritual Mahdi ibn Toumert que a partir de 1125, começa a organizar um movimento de protesto iniciando uma guerra contra os Almorávidas. Partindo desde as montanhas do Alto Atlas, o grande conquistador Abd al-Ali Ibn Moumen irá começar a conquista de Marrocos a partir de 1130. A conquista durou quase 17 anos até à queda da dinastia dos Almorávidas.  Fizeram a sua capital em Marrakech em 1147 . Com todos os muçulmanos almóadas, a Andaluzia, é unificado pela primeira vez dentro de um único império. Esta unidade promoveu o desenvolvimento de uma grande civilização que é agora considerada como a época dourada do grande Marrocos medieval.

 

Os Mérinides

Berberes originários dos territórios orientais de Marrocos sucederam aos Almóadas em 1269. O legado do seu antecessor foi muito pesado para gerir e manter, e acabaram por concentrar os seus esforços somente no território marroquino. A dinastia governou dois séculos. O fim de seu reinado foi marcado pela fragmentação do país em dois reinos: o de Fez e o de Marraquexe,  por um lado, e a ocupação de lugares estratégicos, por portugueses como, Ceuta 1415, Ksar Seghir 1458, Arzila, Tânger 1471 e Melilla, em 1497.

 

Os Saadianos

A recuperação das terras perdidas e a necessidade de um governo central unificador foram os motivos imperiosos que levaram ao surgimento da dinastia saadiana. Originários do sul de Marrocos, esta dinastia é marcada pela confrontação com os exércitos portugueses de ocupação. Adquiriram assim uma legitimidade que os irá confirmar como uma dinastia em ascenção. Cerca de 1525 conquistam Marraquexe inaugurando uma série de sucessos militares que serão confirmados com a tomada de Fez em 1554. A sua impressionante vitória sobre os portugueses na batalha de Wadi el Makhazine (Batalha dos Três Reis ou Alcacer Quibir) em 1578, ressoou por toda a Europa levando Marrocos a retirar um grande benefício económico. A morte do monarca Ahmed el Mansour em 1603 prenunciou a queda da dinastia devido às lutas fratricidas pelo poder dentro da família


Os Alauítas

O vácuo político deixado pelos saadianos durou quase 60 anos. Durante este período o país foi dividido em pequenas entidades políticas regionais relacionadas entre si como o principado do Tazerwalt Sub. Em 1664 o príncipe Moulay Rachid, lançou uma campanha bem sucedida para a reunificação do país e fundou a dinastia alauíta. O seu reinado durou 50 anos e foi caracterizado pela construção de uma ordem política e social. Depois dele, a dinastia continuou até o protectorado francês instaurado em 1912. Através da luta do rei Mohammed V e do povo marroquino o país conquistou sua independência em 1956. Assim começou uma nova era sob o signo da unificação e de reconstrução do país. A dinastia alauíta ainda reina em Marrocos sob a égide do atual monarca o Rei Mohamed VI.

Existem diferentes tipos de acomodações no Marrocos. Cada uma mostra o país em uma nova luz. Há sempre opções para todos os gostos e bolsos. Os locais podem variar, desde resorts até acampamentos.
 
Hotéis e riads
Nas principais cidades do país existem numerosos estabelecimentos em todas as categorias oferecendo uma grande variedade de opções. Conforto e qualidade de acolhimento pode ser esperada em qualquer deles. Sem mencionar os riads, as casas tradicionais em torno de um pátio, que foram remodeladas como hotéis, onde você pode encontrar o melhor da arte marroquina. Nesta terra de tradições, hospitalidade continua a ser um valor fundamental. 
 
Viagens Autênticas
Hospitalidade marroquina é confirmada pela recepção reservada para os viajantes em alojamento privado e b&b. Seja na cidade ou no campo, este tipo de acomodação lhe permitirá conhecer melhor a vida local. Os alojamentos privados e b&b são maravilhosamente autênticos. Passar um par de noites em um desses estabelecimentos é uma experiência inesquecível. 
 
Acampamento em Marrocos
É sem dúvida uma experiência única, a partir dos melhores spots de surf e praias tranquilas, o contato com a população local é sempre quente. Cerca de 90 parques de campismo estão disponíveis em todo o país. A maioria está localizada em ambientes naturais: praias, clareiras e áreas arborizadas. Alguns oferecem alojamento em bangalô ou numa tenda tradicional. Eles tem, frequentemente, pequenos restaurantes e lojas em geral.
Perguntas Frequentes
Preciso de visto para o Marrocos?
Brasileiros não precisam de visto para o Marrocos.
Qual a moeda oficial do Marrocos?
A moeda de Marrocos é O Dirham Marroquino (MAD). A moeda do Marrocos foi emitida pelo Bank of Al-Maghrib, que é o banco central do Marrocos. Historicamente, o Dirham marroquino é originário do Drachm do Império Bizantino e foi usado na Arábia e no Levante nos tempos pré-islâmicos. O nome "Dirham" veio da palavra romana "denário".
Qual o idioma do Marrocos?
No Marrocos o idioma oficial é o árabe, em seguida vem o berber. Outro idioma predominante é o francês. Nas regiões turísticas é comum ouvir outros idiomas.
Devo tomar precauções em relação à saúde?
Os turistas podem enfrentar alguns problemas de saúde em Marrocos, como alguns distúrbios gástricos causados por beber água da torneira ou comer de um restaurante local que não foi recomendado por seus guias turísticos ou a recepcionista do hotel. Alguns viajantes podem sofrer queimaduras solares ou insolação do calor e do sol durante o verão se não forem cuidadosos; no entanto, tomar as devidas precauções e beber água engarrafada pode eliminar qualquer risco para a saúde.
Como se vestir no Marrocos?
É recomendado usar roupas modestas, especialmente quando for visitar locais religiosos.
O que precisa para entrar em Marrocos?
Verifique a data de expiração do seu passaporte. Você só poderá entrar no Marrocos se o seu passaporte tiver pelo menos 6 meses de validade.
Qual a voltagem em Marrocos?
A corrente eléctrica em Marrocos é de 220V 50Hz e as tomadas são do tipo C e E, ambas de dois pinos redondos (estilo europeu). Ou seja, os viajantes portugueses não precisam de se preocupar com isso, mas os brasileiros poderão ter que levar um adaptador.
Preciso aprender árabe para aproveitar minha visita a Marrocos?
Muitos viajantes aproveitam sua estadia em Marrocos sem aprender uma única palavra em árabe; no entanto, é sempre bom aprender algumas palavras em árabe para expressar saudações ou agradecimentos. É aconselhável aprender alguns termos básicos em árabe se você planeja visitar alguns destinos turísticos pouco populares. Os marroquinos são amigáveis e terão prazer em ajudá-lo a qualquer momento, mesmo se houver uma barreira no idioma.
Qual a melhor época para visitar o Marrocos?
As melhores épocas são na primavera (de Março a Maio) e no outono (de Setembro a Novembro). Temperaturas mais amenas que vão permitir você desfrutar melhor das atrações marroquinas.
Gorjeta é obrigatória? Quanto devo pagar?
Dar gorjetas é uma prática comum no Marrocos, simboliza a sua gratidão por um determinado serviço que recebeu. Não é algo obrigatório, mas se quiser pagar gorjetas, dê aquilo que acha sensato.
Terei que barganhar?
A barganha é cultural no Marrocos, negociar os preços dos produtos e quanto você quer pagar por eles faz parte da vivência marroquina. Mas se você não quer barganhar, há lojas que já vendem produtos com preços tabelados.
Marrocos é um país seguro para se visitar?
Marrocos é um destino turístico seguro há anos. O povo marroquino ganhou sua reputação de cordialidade e bondade para com os visitantes. As cidades marroquinas são geralmente muito seguras, especialmente em áreas turísticas onde os turistas costumam estar lá. Marrocos é um país muito bem protegido, onde a polícia está em todos os locais e há diversos pontos de verificação disponíveis, é isso que faz de Marrocos um destino 100% seguro.
Qual a distância entre Marrocos e Brasil?
6999km
Qual é a religião de Marrocos?
Religião em Marrocos – O Islamismo regido pelo Alcorão. O Islamismo é a religião dominante em Marrocos. É a religião do Estado e a mais praticada no país. Estima-se que corresponda a 98,7% da população marroquina – existirão cerca de 100 mil cristão em Marrocos e perto de 10 mil judeus.
Quais são as principais cidades de Marrocos?
A par de Marraquexe, fazem parte dessa lista as cidades de Fez, Rabat e Meknès. Porque foram capitais das antigas dinastias que reinaram em Marrocos. Outras cidades, ainda que não imperiais, têm uma enorme importância no turismo e desenvolvimento do país, como Casablanca, Ouarzazate, Agadir, Tânger ou Essaouira.
Em que continente fica o Marrocos?
África
Qual é o horário de funcionamento dos monumentos e locais históricos em Marrocos?
A maioria dos monumentos, locais históricos e museus em Marrocos funciona das 9:00 às 18:00. Durante o Ramadã, o mês sagrado do calendário islâmico, esteja ciente de que essas horas mudarão significativamente.
Qual é o horário de funcionamento de shoppings e lojas em Marrocos?
A maioria das lojas em Marrocos abre às 10h e permanece aberta até às 22h; no entanto, muitas lojas, cafés e restaurantes, especialmente nas principais cidades como Marrakech, Casablanca, Fez, Agadir e Rabat, ficam abertos muito mais tarde e algumas instalações e lojas ficam abertas 24 horas por dia em áreas turísticas. Durante o mês sagrado do Ramadã, o horário de funcionamento pode variar significativamente. Você pode encontrar algumas lojas fechadas durante o meio do dia e reabrir mais tarde até meia-noite ou depois.
Posso combinar minha visita a Marrocos com outro país?
Os turistas que visitam Marrocos às vezes visitam outros países do Oriente Médio ou do norte da África na mesma viagem. A Memphis Tours oferece serviços de turismo no Egito, Sul da Espanha, Barcelona e Portugal, que você pode pesquisar em nosso site.
Vou receber um reembolso caso eu precise cancelar minha viagem com a Memphis Tours?
A política de reembolso da Memphis Tours é detalhada em nossos Termos e Condições. O valor reembolsado depende de quanto tempo de antecedência somos notificados sobre o seu cancelamento. - Nós concedemos a você um reembolso total por qualquer quantia paga antecipadamente em caso de condições climáticas ou circunstâncias fora do seu controle que possam impedir o navio de entrar no porto em caso de reserva de uma excursão em terra de um navio de cruzeiro com a Memphis Tours por exemplo.
Posso levar um suprimento pessoal de cigarros e álcool comigo quando estiver visitando Marrocos?
É sempre recomendável que os viajantes que desejam ter seu próprio suprimento de cigarros e álcool com eles no Marrocos os compre na chegada. Existem duty frees nos aeroportos de Casablanca, Marrakech, Agadir, Fez, Tânger e Rabat. É permitido que os turistas comprem até três litros de álcool e até 200 cigarros na chegada.
Posso tirar fotos de pessoas, ruas etc. no Marrocos?
Os marroquinos são bem conhecidos em todo o mundo por sua tolerância e hospitalidade; no entanto, é sempre educado pedir permissão antes de tirar uma foto de pessoas, especialmente mulheres, e lojas ou produtos. É proibida a fotografia em torno de bases militares, aeroportos, represas e pontes. Se você estiver em um lugar onde a fotografia é proibida, certamente encontrará sinais para notificá-lo.
Serei capaz de trocar dólares, euros ou outras moedas no Marrocos?
Há um grande número de bancos e casas de câmbio que podem trocar dinheiro e cheques de viagem em Marrocos. Muitas lojas, restaurantes e bares que lidam com turistas aceitam dólares ou euros a preços relativamente próximos dos oficiais. Verifique a taxa de câmbio atual de dólares ou euros para Dirham marroquino (MAD).
Como posso entrar em contato com a Memphis Tours para reservar pacotes de férias em Marrocos?
As operadoras da Memphis Tours estão disponíveis 24 horas por dia, sete dias por semana, para receber suas dúvidas sobre reservas através de diferentes formas de comunicação, como e-mail, telefone ou chat online ao vivo. Você também pode enviar um formulário de solicitação no site, descrevendo os detalhes da viagem que você deseja fazer, a duração e quaisquer outros detalhes que possa fornecer e você receberá uma resposta imediatamente com uma proposta de um de nossos representantes. Nosso número, e-mail e um link para nosso serviço de bate-papo podem ser encontrados na parte inferior da página inicial do site.
Posso simplesmente comparecer para a viagem sem reservas e pagar diretamente no escritório, no local?
Infelizmente, isso não pode ser feito. O passeio precisa ser reservado com antecedência, pois precisamos tomar todas as providências com antecedência.
Sou vegetariano/alérgico a certos produtos, tem algum problema?
Sem problemas. Diga isso ao nosso líder da turnê e ele aconselhará e ajudará. Além disso, muitos jantares são em buffet, para que você possa simplesmente escolher o que gosta. Para pessoas alérgicas, em caso de dúvida, lembre seu caso ao líder da excursão nos restaurantes ou pergunte à equipe sobre o conteúdo dos pratos.
As refeições estão incluídas?
As refeições, principalmente almoço e jantar, estão incluídas onde são mencionadas no itinerário. O café da manhã buffet é incluído todas as manhãs em todos os hotéis em que você está hospedado durante o passeio.
Quão comum é o uso de cartões de crédito em Marrocos?
Os cartões de crédito são amplamente utilizados em Marrocos em hotéis, muitas lojas, restaurantes e cafés. A maioria das lojas nos mercados aceita cartões de crédito. Os tipos mais comuns de cartão de crédito usados em Marrocos são Visa, Master Card e American Express.
Quais são as mesquitas históricas mais importantes em Marrocos?
Marrocos possui um grande número de mesquitas notáveis e históricas. Os mais notáveis dentre eles são a Mesquita Hassan II em Casablanca, Mesquita Koutoubia em Marrakech, Bab Berdieyinne em Meknès, Bou Inania Madrasa em Fez, Mesquita Mulai Idris em Fez, Grande Mesquita de Tânger e Mesquita Sidi Bou Habib em Tânger. Os turistas são bem-vindos em todas essas mesquitas em qualquer dia, exceto sexta-feira.
Porque reservar com a Memphis Tours?
Trabalhamos no setor de turismo desde 1955 e organizamos viagens de alta qualidade, por isso nossos clientes tiveram viagens inesquecíveis, uma experiência única e tiveram o melhor serviço de acordo com seus comentários em fóruns de viagens como TripAdvisor e feefo.
Quanto devo pagar como depósito? Como vou pagar?
O depósito exigido geralmente é de 25% do preço total do passeio, exceto nas épocas mais movimentadas, como Natal e Ano Novo, o depósito terá que ser de 50% do preço total. Você pode pagar o depósito da excursão com um cartão de crédito (Visa e Mastercard aceitos) ou um transferência bancário diretamente à Memphis Tours. Nossos representantes estarão dispostos a fornecer qualquer informação ou suporte adicional necessário para concluir o pagamento. Se não for possível pagar o depósito em uma transação, entre em contato conosco para obter informações sobre a possibilidade de efetuar pagamentos parcelados.
Normalmente, quantas pessoas estão na tour?
Não podemos dizer exatamente (nem garantir) quantas pessoas estarão na tour específica. Normalmente, são cerca de 10 a 20 pessoas em um grupo. Em alguns casos, pode ser mais, em outros dias você viajará sozinho, com poucas pessoas ou mesmo apenas para o seu grupo. No verão (alta temporada), os grupos tendem a ser maiores, e no inverno, menores. O número de viajantes pode mudar em diferentes seções da rota. Por exemplo, se você estiver em uma viagem de 10 dias, pode haver outros viajantes em uma viagem de 5 dias, para que eles sejam divididos mais tarde.
Quais os tipos de veículos utilizados?
Ônibus para grupos maiores e microônibus para grupos menores. Os veículos são modernos e climatizados.
Carregar mais

Dicas
  • A moeda do Marrocos é o Dirham (MAD). A moeda para o Marrocos foi emitida pelo Banco de Al-Maghrib, que é o banco central de Marrocos.
  • Os principais idiomas dos marroquinos são o inglês e o francês, eles também falam ou entendem inglês. Alguns marroquinos outros idiomas como italiano, espanhol e alemão.
  • Brasileiros não precisam de visto para entrar no Marrocos.
  • Gorjetas é considerada habitual em Marrocos. No entanto, você não é obrigado a pagar.
Destaques
  • Marrocos é famoso por sua diversidade geográfica, desde as belas praias de Agadir até as pistas de esqui de Oukaimeden
  • Marrocos tem uma longa faixa de montanhas quando vista do céu, que vai de leste a oeste antes de alcançar as areias da Mauritânia.
  • Os vários tipos de habitat contribuíram para a diversidade de culturas que enriqueceram a identidade marroquina.
  • O Instituto Real da Cultura Amazigh foi criado em 17 de outubro de 2001. Desde então, Berber foi considerado uma língua oficial.
  • Em Fez, visite a Medina, o distrito de Tanners, o Santuário de Moulay Idriss II e a Mesquita Kairouine.
  • Meknes, é uma das mais belas e poderosas cidades imperiais do Marrocos.
  • Marrakech, é uma pérola polida pela história e sua tradição de hospitalidade.
  • Casablanca, lar de mil pequenos ofícios de artesanato e é a vitrine da arquitetura art déco.
Comentários