Marrakech - A cidade vermelha

A cidade vermelha do Marrocos, Marraquech, é uma das atrações mais importantes do país, venha conhecer mais sobre este incrível destino e saiba o que visitar em Marrakech.

Onde fica?
Localizado próximo à praça Jemaa el Fna, o Souk Semmarine é composto por becos e ruas estreitas que formam um verdadeiro labirinto de lojas.

 

O que você vai encontrar?
No Souk você encontra de tudo: lojas que oferecem versões modernizadas de peças tradicionais, vendedores de tapetes antigos, alfaiates que fazem caftãs maravilhosos, lojas de móveis e objetos, como mesas feitas de portas antigas de madeira, herbalistas que preparam cremes para a pele, barracas de especiarias e souvenirs.

 

Dicas valiosas
Barganha é cultural, negocie com os vendedores, isso faz parte da imersão cultural. Se você se perder pelo Souk, não se preocupe, faz parte da aventura.

 

O que esperar do Souk?
Definitivamente você terá uma sobrecarga sensorial - uma imensidade de coisas para se ver, diversos aromas pelo ar e muitos sons que vão desde vendedores, passando pelos carrinhos que oferecem produtos, as intensas buzinas, música local e um burburinho sem fim. O Souk Semmarine lembra uma pintura em movimento, se você parar 1 minuto e somente observar o que há ao seu redor vai ficar espantado com toda experiência que este local vai te oferecer. É algo totalmente fora do nosso cotidiano, da nossa vivência e dia-a-dia, é algo novo, cheio de mistérios e sensações.

Origem
A Mesquita de Koutoubia é a maior mesquita da cidade de Marrakech. Quando foi construída, no século 12, para comemorar a vitória do sultão Almohad sobre os almorávidas, era um dos templos muçulmanos mais altos do mundo.

 

Destaque na Medina
Seu minarete de 77 metros continua dominando a cena na Medina, onde nenhuma outra construção pode, por lei, superar a altura de uma palmeira. A mesquita é decorada com janelas curvas, uma tira de cerâmica, merlões pontiagudos e arcos decorativos. O local ainda tem uma grande praça com jardins e é bem iluminada à noite. 

 

Você Sabia?
A mesquita também é conhecida por vários outros nomes, como o Jami 'al-Kutubiyah, a Mesquita Kotoubia, a Mesquita Kutubiya, a Mesquita Kutubiyyin e a Mesquita dos Livreiros. A Mesquita de Koutoubia serviu de inspiração para outros edifícios como a Giralda de Sevilha e a Torre Hassan, esta última localizada na capital marroquina de Rabat.

 

Onde fica?
A mesquita está situada no distrito da medina do sudoeste de Marrakech. 

 

Como funciona a visitação?
Só muçulmanos entram na mesquita mas os visitantes são recebidos na praça que abriga um lindo jardim de rosas. O horário de funcionamento é de segunda à domingo das 09h às 18h.
 

Museu das Artes Marroquinas
O Museu Dar Si Said é o museu mais antigo da cidade de Marraquech e possui o maior acervo de obras expostas. Atração é até mesmo maior que o Museu de Marrakech.

 

O Palácio
Dar Si Said na sua origem foi residência de Si Said. O palácio é enorme, com vários pátios e possui dois andares na sua estrutura. A entrada do palácio destaca-se pela sua decoração. Assim como outros palácios em Marrakech, o Dar Si Said foi em sua origem residência de um dos principais executivos do Marrocos - o Si Said.

 

O que você vai encontrar?
O acervo do museu conta com a exposição de antiguidades, portas de celeiros, bolsas de couro Tuareg, cerâmicas, bordados, tapetes, armas, instrumentos e jóias de origem berbere.

 

Como chegar?
Saindo da Praça Jemaa el Fnaa, siga pela rua Riad Zitoun el Jdid (na esquina do restaurante Marrakchi). Nesta rua, você vai encontrar placas indicativas, na dúvida peça indicações.

 

Quanto custa a entrada?
O ingresso custa 20 Dhs.

 

Horário de Funcionamento
O Museu está aberto ao público nas Sextas-feiras das 9h às 11h30 e das 15h às 17h45. Nos outros dias da semana o local funciona das 9h às 11h45 e das 14h30 às 17h45.

Onde fica?
O bairro Guéliz fica situado na área nova de Marrakech, no Marrocos. 


 
O que há no bairro?
A região de Guéliz engloba cafés, excelentes restaurantes, shopping, diversas lojas com os mais variados produtos (jóias, couro, artesanato, roupas, souvernirs e marcas famosas) e claro inclui os melhores hotéis, incluindo os classificados como hotéis de luxo. O bairro é o local mais moderno de Marraquech.

 

Como chegar?
Se você está hospedado em algum hotel no próprio bairro, pode sair caminhando para visitar os locais desejados em Guéliz, se está mais distante pode pegar um táxi. 

 

Tudo que você pode fazer em Guéliz
Se você quer fazer compras sem aquela preocupação de barganhar tudo Guéliz é o lugar certo, aproveite o dia para andar pelas ruas do bairro e visitar as lojas e shoppings pois lá todos os preços são fixos. Depois dê aquela pausa para um chá marroquino em um dos cafés elegantes do bairro e em seguida aquela passadinha nas pequenas galerias de arte. Não esqueça de voltar à noite, pois é uma boa pedida para desfrutar dos bons restaurantes que a região oferece e se quiser pode ainda divertir-se em uma das discotecas da área.

 

Confira as informações e veja os pacotes sugeridos para lá ! 

Visão Geral

A Praça Jemaa El Fna é um labirinto de cores atraentes e produtos maravilhosos. Há um vasto comércio na praça, então você consegue achar de tudo! Desde prata até tapetes. Há também diversas comidas típicas; Lembre-se: os marroquinos gostam de negociar, então invista na arte da pechincha.

 

Onde é localizada?

A Praça Jemaa El-Fnaa fica ao lado do Souk Semmarine, que é usado tanto para os cidadãos locais quanto para os turistas. O lugar tem uma importância relevante principalmente para o comércio turístico, por isso, há uma forte presença da polícia no local para garantir a segurança dos visitantes.

Sobre o Jardim Majorelle
O Jardim Majorelle é um jardim botânico de dois hectares e meio e um jardim paisagístico de artistas em Marrakech, Marrocos. Foi criada pelo artista orientalista francês Jacques Majorelle ao longo de quase quarenta anos, a partir de 1923, e apresenta uma vila cubista projetada pelo arquiteto francês Paul Sinoir na década de 1930. A propriedade foi a residência do artista e sua esposa de 1923 até o divórcio na década de 1950. Nos anos 80, a propriedade foi comprada pelos estilistas Yves Saint-Laurent e Pierre Bergé, que trabalharam para restaurá-la. Hoje, o complexo de jardins e casas de campo está aberto ao público. A vila abriga o Museu de Arte Islâmica de Marrakech, o Museu Berber e abriu recentemente o Museu Yves Saint Laurent.

 

Como é o Jardim Majorelle?
O Jardim Majorelle, com mais de 9.000 m², é um dos jardins mais encantadores e misteriosos de Marrocos. Criado ao longo de quarenta anos, é cercado por paredes externas e consiste em um labirinto de becos cruzados em diferentes níveis e edifícios de cores ousadas que combinam influências art déco e moura. O pintor francês Jacques Majorelle concebeu esse amplo e exuberante jardim como um santuário e um "laboratório" botânico. Em 1922, ele começou a plantá-lo com espécimes botânicos exóticos dos cantos mais distantes do mundo.
Os jardins e edifícios formam um complexo, onde edifícios específicos são dedicados a vários museus e exibições de interesse dos visitantes. Os jardins, que cobrem dois acres e meio, são abertos ao público diariamente e abrigam uma importante coleção de cactos e esculturas. A vila abriga o Museu Berber e também apresenta uma coleção de pinturas de Majorelle. O antigo ateliê de Majorelle tornou-se o local do Museu de Arte Islâmica de Marrakech, que apresenta uma coleção de tecidos do norte da África da coleção pessoal de Saint-Laurent, além de cerâmica e jóias.

 

A salvação do Jardim Majorelle
Em 1980, Yves Saint Laurent e Pierre Bergé, que chegaram ao Marrocos pela primeira vez em 1966, adquiriram o Jardin Majorelle para salvá-lo da destruição nas mãos dos desenvolvedores de hotéis. Os novos proprietários decidiram morar na vila de Jacques Majorelle, que eles renomearam como Villa Oasis.

 

O Jardim hoje
O desenvolvimento do complexo de jardins está em andamento. Os lucros dos jardins são usados para financiar novos projetos. Em outubro de 2017, o Museu Yves Saint Laurent foi aberto ao público como uma homenagem ao legado do designer e seus vínculos com Marraquexe. Os jardins são um importante atrativo turístico em Marrakech, atraindo mais de 700.000 visitantes anualmente.

 

A entrada para o Jardim Majorelle é de 70 dirham e a entrada no museu de 30 dirham adicionais. Crianças menores de 12 anos não pagam. 
O jardim abre às 8:00h e fecha às 17:30h.

História

O Palácio El Badi foi construído no final do século dezesseis pelo Sultan Ahmed al-Mansour para comemorar a vitória da Batalha dos Três Reis contra os portugueses.

 

O Palácio El Badi hoje

Como atualmente é um palácio em ruínas, temos que confiar no tamanho enorme do pátio e nos historiadores para ter uma idéia de como era quando acabara de ser construído. Dizem que "O Incomparável" (El Badii) era um palácio com mais de 300 quartos decorados em ouro, turquesa e cristal.O edifício entrou em um período de declínio no final do século XVII, quando o sultão Ismail Ibn Sharif decidiu mudar a capital do Marrocos de Marrakech para Meknes. No processo, ele roubou o palácio completamente.

 

Características

A sala de oração é encimada por um teto móvel de 3.400 m2 e 1.100 t, que pode se mover em cinco minutos, graças a um sistema de rolamento motorizado. Quando o teto é fechado, a sala de orações é iluminada por 50 lustres e 8 arandelas venezianas de Murano. Os maiores têm seis metros de diâmetro, dez metros de altura e pesam 1200 kg. A cobertura do telhado exigiu a instalação de 300.000 telhas feitas especialmente de alumínio fundido pelas equipes do grupo Bouygues, lideradas por Aldo Carbonaro (diretor do projeto) e Abdelatif Haboubi (gerente do local), imitando telhas de terracota. Esses ladrilhos trouxeram um ganho de peso de 65% em comparação aos ladrilhos tradicionais com desempenho de confiabilidade muito maior.

Para o acabamento e objetos religiosos, artesãos de todo o reino ajudaram a cobrir mais de 53.000 m2 de madeira esculpida e montaram mais de 10.000 m2 de zellige, representando 80 ideias originais. O gesso esculpido e pintado foi inteiramente trabalhado no local por 1500 maâlems em mais de 67 000 m2. As cúpulas de madeira de cedro foram fixadas em 971 t de estruturas de aço inoxidável suspensas da estrutura de concreto armado. Os revestimentos de mármore e granito de origem marroquina representam 50 hectares de superfície com uma espessura média de 14 cm.

 

Construção e Design

O palácio levou quinze anos para ser construído, com a construção finalmente concluída por volta de 1593, foi uma exibição pródiga das melhores habilidades artesanais do período saadiano. Construídas usando alguns dos materiais mais caros da época, incluindo ouro e ônix, diz-se que as colunatas são construídas a partir de mármore trocado com comerciantes italianos pelo seu peso equivalente em açúcar. Pensa-se que o edifício original tenha 360 quartos ricamente decorados, um pátio (135 × 110 m) e uma piscina central (90 × 20 m).

Existem vários pavilhões grandes no local, que se acredita terem sido usados como casas de veraneio. O maior do site é conhecido em árabe como al-Quba al-Khamsiniya, que se traduz em 'The Fifty Pavilion', cujo nome é uma área de 50 côvados ou pelo fato de ter 50 colunas. "Al-Quba al-Khamsiniya" também é o título de um poema de Abd al-Aziz al-Fishtali, poeta laureado da corte do sultão Ahmed al-Mansur. O site também inclui vários estábulos e masmorras.

 

Quando visitar?

Aberto de Segunda a domingo das 9:00h às 17:00h

Preço: 7 Euros

O que você precisa conhecer?

O Souk Semmarine no qual você pode encontrar de tudo em suas lojas enfileiradas; a famosa Praça Jemaa El Fna, no qual remete à um mundo medieval, onde, dia e noite, contadores de histórias, lojistas e encantadores de serpentes e macacos disputam sua atenção; o minarete da mesquita Koutoubia; o Palácio Bahia; o Museu Dar Si; os Jardins Majorelle; Menara e o bairro Guéliz.

 

Você Sabia?

Marrocos foi nomeada após esta lendária cidade que é uma das suas quatro cidades imperiais. Um lugar genuíno e natural que permite que você faça uma viagem ao tempo, conforme você passeia pelas pitorescas ruas da cidade.

Marraquesh é popularmente conhecida como a cidade vermelha devido a cor das muralhas da cidade e outros edifícios construídos em pedra igualmente avermelhada.

 

Como chegar?

A principal porta de entrada em Marrakesh é o Aeroporto de Menara. Se você já está no Marrocos, pode ir até Marrakesh através de ônibus ou carro (próprio ou alugado).

 

Por que visitar?

Marrakesh é mais do que apenas uma cidade. É uma pérola polida pela história e sua tradição de hospitalidade que, durante séculos, mostrado saber receber seus visitantes e compartilhar sua linda e rica cultura com aqueles que ali passam.

Onde fica?
O Jardim Menara fica situado a cerca de 3 quilômetros da praça Jamaa El-Fnaa no centro de Marrakech. A maneira mais fácil de chegar é pela Avenida Menara. A entrada do local fica na Avenida Bab Jedid.


 
O que há no local?
O Jardim conta com uma variedade de 40 tipos de oliveiras e, no centro, há enorme lago, que serve como reservatório de água para irrigar as lavouras e é abastecido através de um sistema hidráulico de mais de 700 anos de idade - o sistema traz água das montanhas em um percurso de cerca de 30 km de extensão.

 

Por que visitar?
O Jardim Menara é o lugar ideal para quem quer fugir da agitação da cidade. O local é ótimo para caminhadas, lá você também pode sentar às margens do lago, admirar o horizonte, tirar fotos e desfrutar do belo pôr-do-sol. O Jardim é atração tanto para os marroquinos quanto para os turistas - o público é variado, e você vai sempre encontrar por lá famílias, grupos de amigos e também casais, ambos buscando fugir do burburinho de Marrakech para ter uns minutos de calmaria e descanso.

 

Quanto custa a entrada?
A visita ao Jardim Menara é gratuita, o local está aberto ao público de Segunda à Domingo das 09h às 17h.

História:

O Palácio Bahia é um palácio e um conjunto de jardins localizados em Marrakech, no Marrocos. Demorou mais de uma década para ser construído e teve sua conclusão entre 1866 e 1867. O palácio teve sua construção realizada por Si Moussa, e tinha um objetivo: Ser o palácio mais impressionante do mundo e de todos os tempos. O nome: “Palácio Bahia” significa Brilhante em árabe marroquino. 

 

Onde fica?
O Palácio Bahia fica na Avenida Imam El Ghazali em Marrakech.

 

Características

Este vasto palácio possui 150 quartos, incluindo uma seção de harém localizada ao lado do famoso Tribunal de Honra e está situado em meio a dois hectares no meio da medina de Marrakech.
Em 1894 o filho de Si Moussa, Ba Ahmed, contratou um arquiteto para ampliara ainda mais o Palácio, sendo adicionados ao complexo: uma mesquita, um hamame (também conhecido como banho turco) e uma horta. O Palácio é repleto de jardins que ocupam uma área de 8 mil metros quadrados.


Por que visitar?
O Palácio é uma das mais belas obras-primas da arquitectura marroquina, um dos principais monumentos do património cultural do país e um dos principais locais de turismo no Marrocos. 

 

Você Sabia?
O palácio está aberto a visitas, a concertos de música árabe-andaluza e exposições de arte. A família real marroquina do rei Mohammed VI de Marrocos fica lá às vezes em uma parte privada que não é aberta ao público.

 

Informações

Hoje, o Palácio Bahia funciona como museu e centro cultural.

Horário de Visita: 
O Palácio abre todos os dias das 9h da manhã às 16h da tarde e é fechado durante feriados religiosos.


Preço do Bilhete: 1 Euro 

Perguntas Frequentes
Preciso de visto para o Marrocos?
Brasileiros não precisam de visto para o Marrocos.
Qual a melhor época para visitar o Marrocos?
As melhores épocas são na primavera (de Março a Maio) e no outono (de Setembro a Novembro). Temperaturas mais amenas que vão permitir você desfrutar melhor das atrações marroquinas.
Qual o idioma do Marrocos?
No Marrocos o idioma oficial é o árabe, em seguida vem o berber. Outro idioma predominante é o francês. Nas regiões turísticas é comum ouvir outros idiomas.
Gorjeta é obrigatória? Quanto devo pagar?
Dar gorjetas é uma prática comum no Marrocos, simboliza a sua gratidão por um determinado serviço que recebeu. Não é algo obrigatório, mas se quiser pagar gorjetas, dê aquilo que acha sensato.
Terei que barganhar?
A barganha é cultural no Marrocos, negociar os preços dos produtos e quanto você quer pagar por eles faz parte da vivência marroquina. Mas se você não quer barganhar, há lojas que já vendem produtos com preços tabelados.
Devo tomar precauções em relação à saúde?
Os turistas podem enfrentar alguns problemas de saúde em Marrocos, como alguns distúrbios gástricos causados por beber água da torneira ou comer de um restaurante local que não foi recomendado por seus guias turísticos ou a recepcionista do hotel. Alguns viajantes podem sofrer queimaduras solares ou insolação do calor e do sol durante o verão se não forem cuidadosos; no entanto, tomar as devidas precauções e beber água engarrafada pode eliminar qualquer risco para a saúde.
Como se vestir no Marrocos?
É recomendado usar roupas modestas, especialmente quando for visitar locais religiosos.
Carregar mais

Dicas
  • A moeda do Marrocos é o Dirham (MAD). A moeda para o Marrocos foi emitida pelo Banco de Al-Maghrib, que é o banco central de Marrocos.
  • Os principais idiomas dos marroquinos são o inglês e o francês, eles também falam ou entendem inglês. Alguns marroquinos outros idiomas como italiano, espanhol e alemão.
  • Brasileiros não precisam de visto para entrar no Marrocos.
  • Gorjetas é considerada habitual em Marrocos. No entanto, você não é obrigado a pagar.
Destaques
  • Marrocos é famoso por sua diversidade geográfica, desde as belas praias de Agadir até as pistas de esqui de Oukaimeden
  • Marrocos tem uma longa faixa de montanhas quando vista do céu, que vai de leste a oeste antes de alcançar as areias da Mauritânia.
  • Os vários tipos de habitat contribuíram para a diversidade de culturas que enriqueceram a identidade marroquina.
  • O Instituto Real da Cultura Amazigh foi criado em 17 de outubro de 2001. Desde então, Berber foi considerado uma língua oficial.
  • Em Fez, visite a Medina, o distrito de Tanners, o Santuário de Moulay Idriss II e a Mesquita Kairouine.
  • Meknes, é uma das mais belas e poderosas cidades imperiais do Marrocos.
  • Marrakech, é uma pérola polida pela história e sua tradição de hospitalidade.
  • Casablanca, lar de mil pequenos ofícios de artesanato e é a vitrine da arquitetura art déco.
Comentários